Notícias




quinta-feira, 9 de novembro de 2017

OPERAÇÃO TORRENTES: POLÍCIA FEDERAL RASTREOU ENTREGA DE R$ 2 MILHÕES POR EMPRESA DE RICARDO PADILHA NA SEDE DO PSB A DOIS DIAS DAS ELEIÇÕES DE 2014

POLÍCIA FEDERAL FAZ OPERAÇÃO NO PALÁCIO DO CAMPO DAS PRINCESAS

A Polícia Federal, em Pernambuco, deflagrou hoje, juntamente com a Controladoria Geral da União e o Ministério Público Federal, a "Operação Torrentes", visando desarticular um gigantesco esquema criminoso montado por servidores públicos vinculados à Casa Militar do governo do Estado de Pernambuco, juntamente com empresários para os quais teriam sido repassados, segundo levantamentos feitos pela Controladoria Geral da União, R$ 450 milhões referentes a apenas 15 contratos para socorro às vítimas das enchentes ocorridas nos anos de 2010 e 2017.

Ainda segundo levantamento da CGU, o Estado de Pernambuco chegou a receber R$ 2,9 bilhões em repasses federais apenas para realizar o socorro às vítimas das enchentes e cujos contratos serão todos investigados. 

De acordo com a Polícia Federal, que utilizou 260 policiais federais arregimentados em dez Estados diferentes da Federação para cumprir os 71 mandados de prisão temporária, condução coercitiva e buscas e apreensões em órgãos públicos e nas empresas envolvidas no esquema,  os R$ 450 milhões pagos aos empresários Ricardo Padilha Carício, Rogério Fabrício de Roque Neiva, Romero Fittipaldi Pontual (CEASA) e Antônio Manuel de Andrade Júnior são referentes apenas a contratos para fornecimento de filtros, colchões, lonas, água mineral, transporte e gêneros alimentícios, não incluindo as obras que serão ainda alvo de outras investigações.

A Polícia Federal e a CGU revelaram, em entrevista concedida hoje, pela manhã, que o governo de Pernambuco não atendeu às solicitações para que fossem fornecidas cópias dos processos licitatórios, gerando, inclusive a desconfiança de que muitos contratos foram feitos sem qualquer processo formal de licitação, já que foram constatadas situações em que primeiro o contrato era assinado para somente depois serem montados de maneira forjada, os respectivos processos licitatórios. Fontes da Polícia Federal que fizeram parte das investigações chegaram a revelar que as fraudes são tão grotescas que saltam aos olhos até para pessoas leigas.

Além do superfaturamento e das fraudes nas licitações feitas de maneira "grotesca", a Polícia Federal constatou por meio da quebra de sigilo bancário de alguns dos investigados o pagamento de propina a servidores para os quais as empresas investigadas transferiram recursos inclusive por meio de "empréstimos" simulados ou mesmo diretamente, por transferência bancária.

A Polícia Federal dividiu o esquema criminoso em cinco grupos distintos: um formado pelos militares responsáveis pelos contratos e outros quatro formados pelos empresários beneficiários do esquema.

Do Núcleo Militar foram presos temporariamente o Coronel Fábio Rosendo de Alcântara e o Tenente Coronel e conduzidos coercitivamente os Coroneis Mário Cavalcanti, Roberto Gomes de Mello Filho e Waldemir José de Vasconcelos Araújo.

A condução coercitiva do Coronel Mário Cavalcanti, que há pouco tempo atuou como interventor no Município de Gravatá foi pedida pelo Ministério Público Federal. Segundo nossas fontes, o Coronel despertou a desconfiança tanto da Polícia Federal, quanto do MPF, ao promover reunião com os investigados tão logo a Polícia Federal deflagrou a Operação Mata Norte, que revelou que o empresário Ricardo Padilha comandava uma rede de empresas "laranjas" para fraudar licitações para fornecimento de merenda escolar para diversos Municípios e para órgãos do Estado de Pernambuco. Conforme nosso Blog revelou, em primeira mão, só com a Casa Militar, as empresas de Ricardo Padilha, preso na Operação Mata Norte e na Operação de hoje, teriam contratos superiores a R$ 40 milhões, justamente para o fornecimento de filtros, transporte e armazenamento, água mineral, dentre outros, destinados às vítimas das cheias (Leia em EMPRESAS INVESTIGADAS PELA POLÍCIA FEDERAL NA OPERAÇÃO "MATA NORTE" POR FRAUDES EM LICITAÇÕES DA MERENDA TÊM CONTRATOS MILIONÁRIOS SEM LICITAÇÃO COM SECRETARIAS ESTADUAIS LIGADAS À SEGURANÇA PÚBLICA E À RESSOCIALIZAÇÃO DE PRESOS E MENORES e EMPRESA ALVO DA OPERAÇÃO "MATA NORTE" DA PF CONTRA FRAUDES EM LICITAÇÕES DA MERENDA ESCOLAR RECEBEU MAIS DE R$ 40 MILHÕES DO GOVERNO DE PERNAMBUCO justamente os que foram alvo da Operação de hoje da Polícia Federal.

Além disso, de acordo com a Polícia Federal, dois dias antes das eleições de 2014, no dia 03 de outubro, foi realizado um saque de R$ 2 milhões de uma conta da empresa FJW, empresa de Ricardo Padilha, por uma pessoa de nome Ewerton Soares da Silva, que, por sua vez, teria entregado o dinheiro ao Coronel da PM Roberto Gomes Filho, cujo celular, ao ser rastreado pela Polícia Federal, revelou que teria levado os recursos à sede do PSB - Partido Socialista Brasileiro. O Coronel Mário Cavalcanti era o coordenador financeiro da campanha de Paulo Câmara ao governo de Pernambuco.

Como a Justiça levantou o sigilo da Operação, a Polícia Federal pode divulgar todos os alvos, cujos Núcleos Empresariais eram comandados por Romero Pontual (conduzido coercitivamente), Antônio Manoel de Andrade Filho (preso temporariamente), Ricardo Padilha (preso temporariamente) e Rogério Fabrízio Neiva (conduzido coercitivamente.

LEIA A LISTA DE ALVOS NA ÍNTEGRA:  

PRESOS E CONDUZIDOS MILITARES:
1. Fábio de Alcântara Rosendo – CEL/PM – Prisão Temporária;
2. Laurinaldo Félix do Nascimento – TC/PM – Prisão Temporária;
3. Roberto Gomes de Melo Filho – CEL/PM – Prisão Temporária;
4. Waldemir José Vasconcelos de Araújo – CEL/PM- aposentado – Prisão Temporária;
5. Carlos Alberto de Albuquerque Maranhão Filho – CEL/PM – Condução Coercitiva;
6. Jair Carneiro Leão – CEL/PM – Condução Coercitiva;
7. Rolney Feitosa de Souza – CAP/PM – Condução Coercitiva;
8. Mário Cavalcanti de Albuquerque –CEL/PM – Condução Coercitiva;
9. Adauto Chaves da Cruz Gouveia Filho – PM/PE – aposentado – Condução Coercitiva;
10. Patrese Pinto e Silva – SD/PM – Condução Coercitiva;
11. Emmanoel Feliciano Ribeiro-Condução Coercitiva

CIVIS PRESOS:
1. Antonio Manoel de Andrade Junior- Prisão Temporária;
2. Heverton Soares da Silva- Prisão Temporária;
3. Ítalo Henrique Silva Jaques-Prisão Temporária;
4. Ricardo José de Padilha Carício-Prisão Temporária
5. Rafaela Carrazzone da Cruz Gouveia Padilha-Prisão Temporária
6. Roseane Santos de Andrade-Prisão Temporária
7. Daniel Pereira da Costa Lucas-Prisão Temporária
8. Taciana Santos Costa-Prisão Temporária
9. Ricardo Henrique Reis dos Santos-Prisão Temporária
10. João Henrique dos Santos-Prisão Temporária
11. Antonio Trajano da Rocha Neto-Prisão Temporária
12. Karina Carrazzonne Pacífico da Rocha-Condução Coercitiva;
13. Diego César Silva Jaques-Condução Coercitiva
14. Rogério Fabrízio Roque Neiva-Condução Coercitiva
15. Josileide Gomes Neiva-Condução Coercitiva
16. Romero Fittipaldi Pontual- Condução Coercitiva
17. Diego Renato Carneiro de Andrade- Condução Coercitiva
18. Elza Maria José de Santana-Condução Coercitiva
19. Sybelle Maria de Araújo Lima-Condução Coercitiva
20. Wagner Belizário da Silva- Condução Coercitiva
21. Adriana Padilha Carício Montenegro-Condução Coercitiva
22. Tertuliano de Oliveira Montenegro-Condução Coercitiva
23. Mário Cavalcanti de Albuquerque-Condução Coercitiva
24. José Walter Alves Ferreira-Condução Coercitiva
25. Adauto Chaves da Cruz Gouveia Filho-Condução Coercitiva
26. Patrese Pinto e Silva-Condução Coercitiva
27. Tiago Augusto Silva Jaques-Condução Coercitiva (Pará)

EMPRESAS – BUSCAS E APREENSÃO:
1. Casa Militar;
2. CEASA;
3. DTI;
4. FJW;
5. Regente Empresarial;
6. JLPM;
7. DTI Soluções Empresariais/Project Comercial Eireli;
8. Megabag Indústria de Bolsas Ltda;
9. T&R Comercio de Artigos de Confecção Ltda;
10. AM Júnior Comércio de Artigos de Couro Ltda;
11. Escritório de Contabilidade de Elza Maria José de Santana;
12. CODECIPE;
13. Depósito DTI – Soluções empresariais;

3 comentários:

  1. Nenhum comentário kkkkkkk,cadê os milicos fardados postando vídeo dizendo que bandido bom é bandido morto,o problema não é farda ou não farda,honestidade vem de sua formação social,educação
    agora vá no discurso de Bolsanaro

    ResponderExcluir
  2. Noélia, seu blog é o único no qual confio para ler sobre os desmandos dos poderosos no pobre Estado de Pernambuco. Parabéns por sua coragem e tino investigativo. Se houvessem mais pessoas como você, seguramente haveria menos corrupção na Administração Pública estadual! Um forte abraço do seu admirador, Edil Junior.

    ResponderExcluir
  3. Fico pensando aqui com meus botoes...será mesmo que estes militares agiram sem a garantia de que estava tudo sob controle? Militares tem intrínseca a cultura da obediência...Acho que nessa enxurrada muita água ainda precisa passar por debaixo da ponte. Temos ai o prefeito Geraldo Julio que coordenava as ações da operação e o governador Paulo Câmara que também era membro do do governo Eduardo Campos.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.